BEM VINDOS À POESIA


sábado, 11 de abril de 2015

Riacho Grande


E na dança suave das águas represada
Uma paz repousa à sombra das árvores...
Deixando a paisagem fina e delicada
Tatuando nas cores sonhos e amores.

Su Simon


domingo, 5 de abril de 2015

Enquanto não amanhece



Leva o sol e o esconde
Levitando sobre nuvens encanta
Lança sentimentos e raios de paixão
Livre no firmamento.

E passeando entre nuvens e estrelas
clareia as ideias, causa inspiração
E se esconde e a procuro e brilha
e me encanta

Ah! Lua Luna Prateada
Passeia na noite
Sapateia em meus versos
Dança em meus sonhos...

Enquanto o dia não amanhece!

Su Simon





sexta-feira, 3 de abril de 2015

Pegadas, rastros, sinais

imagem google.com

São pegadas, rastros e sinais deixados pelos caminhos
Como uma estrela cadente atravessando o céu em noite sem luar...
Deixando um enigma, um mistério, um segredo 
indecifrável ao olhos de lince!
Há magia no canto do vento
Há mistério aos olhos do mar
Há poesia rodopiando a mente
E sonhos pra se sonhar
Sem metas, sem planos, sem direção
Segue o vento derrubando folhas secas
É preciso entender a mensagem,
decifrar pistas, seguir o vento...
Há rastro de folhas secas dispersas pelos caminhos...
Há amor, sonho e esperança num olhar que brilha sorridente
É  preciso entrar na dança, seguir o compasso da canção
pra entender o amor pairando sobre nós...
São pegadas, rastros e sinais
fazendo da aventura de viver
Uma eterna  canção  entorpecendo a alma...
São pegadas, rastros e sinais...

Su Simon

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Nem vem que não tem


imagem google.com

Poema 5
Refazer planos, levá-los a risca,
com respeito e dedicação
ao extremo de sentimentos.
Amizade é sagrada e de alto valor.
Não suporta mentiras nem enganos
Nem uso desnecessário de confetes.
Então, não quero rasgar no verbo
toda a indignação do espírito.
Nem enfeitar com adjetivos chulos
tudo que penso e vejo.
Quero apenas um rascunho
 para rabiscar as palavras
que não cabem no meu verso.
Eternizá-las nas entrelinhas
para não caírem no esquecimento.
Que o vento carregue pra longe toda mentira
que soprou em minha direção...
Nem vem...
Nem vem que não tem.


terça-feira, 31 de março de 2015

Brisa! Vento! Ventania!

imagem google.com


Poema 4


Chegou como uma brisa
beijou-me a face.

Refrescou o corpo,
ganhou força e seguiu o rumo...

Derrubou pensamentos,
como folhas secas de outono...

Agigantou-se, virou tempestade 
limpou a atmosfera de fluídos nocivos.

Transformou-se em furação, virou redemoinho,
embalou  sonhos em espirais...

Uma rajada mais intensa sacudiu o corpo
à velocidade da luz.

Um leque de inspiração 
desnorteou a mente e abalou o coração...

Feito tufão, trouxe energia e poderes fantásticos
e navegou o barco a deriva da maré...

Moveu nuvens e céu. propagando o fogo da alma
que encantada dispersou sementes...

De amor
 a vida  floresceu ...

Brisa, vento, ventania
Que intenso sentir-te beijando-me à face...


Su Simon





segunda-feira, 30 de março de 2015

Nem sempre sintomas de tristeza


Poema 3

Definitivamente é possível caminhar longas distâncias
e não pensar em nada, apenas sentir a natureza...
Sorrir diante da simplicidade da vida:
Como um canto de pardais
Um rasante voo de Tucano
Ou um movimento em V, visualizado no céu.
das andorinhas alinhadas e felizes.
Lembrar, neste momento, da solidão das estrelas
que mesmo dispostas distantes umas das outras,
Quando reunidas, brilham intensamente
sem ofuscar o brilho da outra...
E sorrir ao lembrar
das pessoas queridas e distantes
e perceber que elas brilham 
em algum ponto luz do planeta.
Assim, a saudade faz brotar 
um sorriso magnífico no canto dos lábios.
Então percebo que a saudade 
não precisa ser, de fato, triste,
e sim, só mais um momento de amor!
Eh! Saudade...

Su Simon



domingo, 29 de março de 2015

Restaram apenas pegadas

imagem google.com


Poema 2

Aquela lágrima que rolou sem por quê
Da dor que era tão minha, tão íntima!
Descobri que foi por mim,
não por você.
E em cada gota orvalhada
havia gosto de mar e ventania
Em ondas bravias se quebrando aqui dentro
Morriam na areia mansa do meu caminho.
E foram ficando para trás
dores, desilusões e toda amargura
nas pegadas do destino
Agora somos apenas lembranças
dos momentos inesquecíveis
deixados pelo caminho...

sábado, 28 de março de 2015

Talismã



Poema 1
Anoiteceu e o céu ficou prateado
Noite escarlate de lua brilhante
Anjo dotado de força e energia
Talismã para os amigos
Navega em barco de cristal
Oásis divino contra a solidão
Fonte de luz rebrilhando a vida

Ousadia e brilho que ofusca a retina
Raio de luz quebrando a escuridão


Su Simon
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

THANKS

Thank you for visiting ...
come back soon!...